Peering Points agilizam o acesso de empresas à datacenters

 

Entender o que são Peering Points é fundamental para o desenvolvimento da sua empresa.

A Internet é uma coleção de redes conectadas com o objetivo de possibilitar a transferência de dados de uma rede para outra.

Normalmente, duas redes não estão conectadas diretamente, mas sim, através de uma ou mais redes de uma terceira parte. Dessa forma, acaba demorando mais tempo para que os dados percorram toda uma rede.

Então, quanto maior for o número de redes que os dados precisam atravessar, maiores são as chances de existir congestionamento de tráfego, fazendo com que esse processo se torne mais lento.

Além disso, cada rede que é atravessada representa um possível ponto de falha, podendo impedir que os dados cheguem ao seu destino final.

Com isso, surgiu o conceito de Peering, que visa diminuir essas falhas em potencial e otimizar a transferência de dados.

Quer mais dicas sobre novas tecnologias? Leia também esse outro artigo que preparamos.

A seguir, você vai encontrar tudo o que precisa saber sobre Peering Points e como eles agilizam o acesso de empresas a datacenters! Continue lendo e confira:

O que são Peering Points?

Peering nada mais é do que a interconexão de redes separadas de internet, que possuem o objetivo de viabilizar a troca de dados de usuários.

Ele também é conhecido como um modelo de criação e inovação de valores, capaz de produzir novos serviços, por exemplo.

Dessa forma, Peering e pontos de peering diminuem a quantidade de redes que os dados precisam atravessar até o seu destino final. Isso acaba aumentando a velocidade da troca de informações e a confiabilidade da internet.

Além disso, é importante que você conheça a relação entre Peering e trânsito. Então, continue lendo!

Peering e Trânsito

Quando duas redes se encontram com o objetivo de trocar dados, o operador de ambas as redes precisa fazer uma escolha: Aceitar ou não outra rede de tráfego para transmitir tais dados ao seu destino?

Se a resposta for positiva, significa que o operador está fornecendo trânsito para a rede em questão.

Ao contratar um provedor para ter acesso à internet, é isso que está sendo pago: o trânsito. Assim, ele conduz o tráfego para dentro e para fora da sua rede.

Caso ambos os sentidos de dados da rede aceitarem apenas o tráfego de outra rede que é destinado a eles, ambas as redes são chamadas de Peering.

Geralmente, o Peering é realizado entre redes de tamanhos parecidos em uma base sem fins lucrativos.

Descubra abaixo tudo sobre Peering Points e seu funcionamento:

Peering Points

Peering Point é um ponto de troca de tráfego, onde diversas redes usufruem dessa troca. Assim, é possível que uma rede possua pontos de conexão com diversas outras redes.

Esses pontos são capazes de reduzir a quantidade de redes que os dados precisam atravessar, a fim de chegar ao seu destino.

Isso acaba melhorando a qualidade da conexão, com uma menor latência, maior segurança e menores custos.

No Brasil, os Peering Points também são conhecidos como PTT  (Ponto de Troca de Tráfego). Mas também existem outras siglas que, de maneira geral, significam a mesma coisa, como:

  • IXP: Internet Exchange Point
  • NAP: Network Access Point

Peering Point é um projeto que chegou ao Brasil através do Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGIbr), que é responsável pela promoção e pela criação da infra-estrutura necessária para a interconexão direta entre as redes que compõem a Internet Brasileira.

Atualmente, há 30 PTTs regionais ativos no Brasil localizados em:

  • Aracaju
  • Belém
  • Belo Horizonte
  • Brasília
  • Campina Grande
  • Campinas
  • Cuiabá
  • Caxias do Sul
  • Curitiba
  • Florianópolis
  • Fortaleza
  • Foz do Iguaçu
  • Goiânia
  • João Pessoa
  • Lajeado
  • Londrina
  • Maceió
  • Manaus
  • Maringá
  • Natal
  • Porto Alegre
  • Recife
  • Rio de Janeiro
  • Salvador
  • Santa Maria
  • São José dos Campos
  • São José do Rio Preto
  • São Luís
  • São Paulo
  • Teresina
  • Vitória

Esses Peering Points não se comunicam entre si de maneira direta. Isso ocorre com o objetivo de evitar que haja uma concorrência entre eles e as operadoras, além de incentivar o uso regional do serviço.

No entanto, existem operadoras que possuem ligação em mais de um PTT e, assim, são capazes de vender aos clientes a ligação entre eles e pontos de troca de tráfego fora do Brasil.

Acesso de empresas à datacenters

Utilizar Peering Points pode ser uma ótima solução para agilizar acessos de empresas para serviços específicos ou servidores, além de bases de dados estratégicos, como:

  • Google Cache
  • Akamai
  • Mirror de diversos conteúdos
  • Sites de distribuição de vídeos e imagens
  • Facebook
  • Netflix

Ou seja, ao optar por PTTs, uma organização acelera a sua conexão e a sua ligação com importantes datacenters, ajudando a sua empresa a crescer.

Conclusão

Com o advento da internet, muitos conceitos e inovações surgiram, como é o caso dos Peering Points.

Estes nada mais são do que pontos de troca de tráfego, onde várias redes realizam uma troca de tráfego. Dessa forma, é possível que uma rede possua pontos de conexão com inúmeras outras redes.

Os Peering Points também são capazes de reduzir a quantidade de redes que os dados precisam atravessar até o seu destino final.

Ou seja, eles acabam aumentando a qualidade de uma determinada conexão, otimizando a latência, aumentando a segurança de transferência de dados e diminuindo custos.

Além disso, essa solução pode acelerar o acessos de empresas a servidores específicos, como a Netflix, Sites de distribuição de vídeos e imagens e o Google Cache, por exemplo.

Agora você já sabe o que são Peering Points e como eles podem agilizar o acesso de empresas à datacenters.

Não se esqueça: aqui no blog sempre temos novidades para quem quer estar por dentro de todas as inovações tecnológicas. Confira esses outros artigos que podem ser interessantes para você:

Você já conhecia o conceito e o funcionamento de um Peering Point? Divida sua experiência conosco nos comentários e não deixe de perguntar se ficou com alguma dúvida!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *